sábado, 27 de outubro de 2018

Se fere a minha existência, eu serei resistência

Amigos e amigas,

Estamos na reta final das eleições e se posicionar nunca foi tão necessário, tendo em vista que não estamos elegendo nem o síndico, nem o chefe de uma denominação religiosa. Precisamos de pluralismo religioso e liberdade de culto, estando num Estado laico como o nosso.

Penso que pude contribuir nas redes para o debate nesta combalida democracia brasileira, mesmo que na tensão dessas eleições, apresentando notícias baseadas em fatos reais.

O medo gera na gente graves ameaças à saúde psíquica. Talvez, pelo stress do período eleitoral, mas principalmente pelo medo real da vitória do fascismo nas urnas. Medo de ser perseguido, medo de sofrer violência física por causa de nossas opções políticas, de nossa orientação sexual. Medo do amanhã. Sim, estou com medo, como nunca antes na minha vida. Dores no corpo (pois nossos corpos sao políticos), dores na alma. 

Mas, ainda assim, lutei com todas as minhas forças para eleger Fernando Haddad presidente da República, mesmo sabendo que a cadela do fascismo vai continuar à solta.

Sem notícias falsas, pudemos expor Jair Bolsonaro em tudo aquilo que representa. Tudo o que foi exposto por mim são palavras que saíram de suas falas, todas gravadas, sem edições, carregadas de violências, lgbtfobia, machismo, misoginia, xenofobia, racismo, intolerância, aversão aos pobres, apologia à tortura, etc. Tudo documentado! Isso não é suficiente? Pense que você nao consegue detalhar sequer uma proposta dele para a economia ou para a segurança pública que não seja armar a população. Pense que, mesmo liberado pelos médicos, ele fugiu aos últimos debates. Nunca antes na história deste país as pessoas têm medo que seu candidato ponha seus planos em prática. 

Projetos? Óbvio que não tem. Despreparado, sem um partido programático por trás, sem equipe preparada e que conheça a máquina pública. Apenas frases de efeito contra "tudo isso que está aí". Quem vota a favor da PEC do teto de gastos, que impede investimentos em saúde e educação por 20 anos, não vai governar para todos. Vai governar para meia dúzia de empresários que estão fazendo caixa 2 para sua campanha. Vai governar para a turma do TEMER que, neste segundo turno, declarou apoio irrestrito a Bolsonaro. "Diga me com quem andas que eu te direi quem és".

Quanto à Fernando Haddad, penso que é um dos melhores quadros do partido dos trabalhadores, não só porquê foi um dos melhores ministros da educação que este país já teve, mas também pela sua biografia e passagem pela prefeitura de São Paulo.

Espero que, nestas horas finais, possam refletir com clareza que Haddad é o único candidato que pode fazer essa travessia democrática com mais inclusão, mais tolerância, mais diálogo com toda a sociedade e respeito às liberdades individuais. Para o Brasil ser feliz de novo!

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Santa Preta: mãe Aparecida

*Por Matheus Assis

Ateliê 15
Hoje é o dia da SANTA PRETA! Aquela que pariu no cocho, aquela que era muito nova para engravidar, aquela que teve que mudar entre cidades para se sustentar, Maria da favela de Nazaré, subúrbio de Israel.

Maria é todas as mulheres, aquelas negras, sem assistência médica, sem emprego, grávidas de filhos sem pai, sem oportunidade. Maria também são aquelas que foram pesadas como arroba no mercado escravista (e também hoje em dia), as mães que tiveram seus filhos confundidos e mortos na favela, aquela que foi metralhada no Rio de Janeiro.

Maria das pessoas sem oportunidades, dos retirantes, dos sem teto, dos sem terra, dos índios, dos negros, Maria dos subúrbios, das favelas, dos quilombos de hoje. Aparecida, aparece hoje no país do ódio, da intolerância, do racismo, no país mais cristão em números, menos cristão em atitudes, seja nosso exemplo contra o ódio!

Dispensa os soberbos, os poderosos, os que usam da força para se enriquecer, os ambiciosos do governo, os que foram eleitos representantes e não trabalham. Dá o de comer aos que tem fome, moradia aos sem teto, terra aos que não a tem, e despede os ricos de mãos vazias. 

Não é comunismo, é magnificat. Não é ateísmo, é fraternidade. Não é assistencialismo, é oportunidade. Não é vitimismo, é grito pela vida. Assim como a senhora negra apareceu na época da escravidão, aparece hoje também dos racistas o coração.
.
.
SALVE A NEGRA MARIAMA!

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

A igreja e Manuela


Hoje, fiquei decepcionado com uma postagem extremamente ofensiva à candidata a vice-presidência na chapa de Fernando Haddad, Manuela D'Ávila. Geralmente, os conteúdos envolvendo Manuela são carregados de machismo e de misoginia.

Fonte: https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=10156521812347534&id=535132533

O que me espantou (não deveria) é que a postagem veio de um presbítero da Igreja Católica, Pe. Admilson Paiva, São-joanense, servindo na Arquidiocese de Belo Horizonte, como podem ver no print da postagem, em sua rede social no facebook. Diga-se de passagem, uma arte muito mal feita, como são as fakes news nestas eleições.

Da página da Manuela no Instagram

Como sempre usam da boa fé do povo católico para agir com preconceito em relação à pessoa de Manuela, apenas por divergir de algumas de suas posições e inventam muitas mentiras. É claro que vão jurar até o fim estarem com a razão.

Do alto do seu clericalismo, de se julgarem donos da verdade, vários pastores também tem caído na mesma armadilha do autor da postagem. Ouso dizer que não é essa igreja sonhada por Jesus. Não é essa igreja anunciada por Francisco.

Espero que as autoridades eclesiásticas tomem uma posição. Da minha parte já denunciei o perfil do autor da postagem à campanha de Fernando Haddad.