terça-feira, 4 de novembro de 2008

Estudantes do Campus Divinópolis da UFSJ mantêm greve

Estudantes de três cursos da Universidade Federal de São João del-Rei - UFSJ, campus Dona Lindu, localizado em Divinópolis (MG), decidiram manter a greve deflagrada na última quarta-feira (29/10), apesar da reitoria não reconhecer a legitimidade do movimento.
Eles protestam contra as péssimas condições de funcionamento dos cursos, que, mesmo sem a mínima infra-estrutura adequada, dobrarão o número de vagas disponibilizadas para o próximo vestibular, previsto para ocorrer em dezembro.
Até o momento, a reitoria, que fica localizada em São João del-Rei, há quase 300 Km do local, não aceitou dialogar com os estudantes. O reitor, Helvécio Luiz Reis, informou que não se deslocará até Divinópolis para conversar com eles.
Infra-estrutura deficienteDe acordo com Hygor Kleber Cabral Silva, estudante de Medicina, o campus Dona Lindu foi inaugurado no início deste ano e atende, hoje, a 200 alunos dos cursos de Medicina, Enfermagem, Farmácia e Bioquímica.
“São apenas duas salas de aula para dar conta dos quatro cursos e a reitoria ainda quer dobrar o número de vagas abertas para o próximo vestibular. O nosso campus não tem estrutura para receber mais 400 estudantes”, afirma.
Hygor conta que o único prédio do campus possui três andares, sendo que o último, que deveria abrigar os novos laboratórios, está inacabado. “As obras estão paralisadas há meses e, agora, a reitoria diz que vai utilizar o espaço para criar novas salas de aula”, conta.
Conforme ele, os alunos de Farmácia e Bioquímica contam com dois laboratórios, insuficientes para atender a demanda de disciplinas e de número de alunos. Os de Medicina e Enfermagem têm apenas um, batizado de laboratório “morfofuncional”, que apresenta algumas poucas peças sintéticas (moldes) para aulas de anatomia e 20 microscópios.
Falta de docentesA falta de professores é outro problema enfrentado. Na Medicina, são apenas sete docentes, sendo que somente dois são efetivos. Na enfermagem, são seis, com cinco efetivos.
“Não temos um currículo. O programa pedagógico do curso nunca foi de fato implementado, porque não há quadros para isso. No início do ano, tínhamos aulas somente duas vezes por semana. E até hoje não sabemos quais matérias iremos cursos no semestre seguinte”, denuncia.
Criminalização na Bioquímica: Os estudantes do curso de Bioquímica, que também estavam paralisados, retomaram as atividades após serem ameaçados por um professor. De acordo com Hygor, um dos professores da Faculdade chegou a suspender um Projeto de Iniciação Científica e ameaçar cortar as bolsas dos alunos grevistas.
Esse mesmo professor teria, ainda registra um Boletim de Ocorrência contra os alunos que participavam do protesto por melhorias na infra-estrutura, acusando-os de ameaçar invadir o campus. Acuados, os estudantes interromperam o movimento.

Fonte: ANDES-SN

Produto são-joanense é destaque na Bienal de Design



Produto mineiro é destaque na Bienal de Design

Peças de estanho de São João del-Rei participam de concurso em Brasília
A sorveteira de estanho, fabricada por artesãos de São João del-Rei/MG, concorre ao prêmio Produto de Destaque da II Bienal Brasileira de Design. O conjunto de tigelas destacou-se entre mais de 400 produtos industriais brasileiros que utilizam o design para diferenciar e agregar valor às peças. A votação pode ser feita pelo site: www.designbrasil.org.br/bienal2008/
As tigelas da sorveteira fazem parte da coleção Estanho Novo que reúne vários objetos criados em pequenas oficinas de artesanato de São João del-Rei. Os objetos foram criados com o auxílio do programa Via Design do Sebrae-MG que ajudou na modernização das peças.A II Bienal Brasileira de Design tem o objetivo de difundir a produção brasileira do design por meio de exposições, mostras, clínicas e palestras. São expostos projetos que podem ser produzidos em grande e pequeno porte e que possuam expressão social e cultural.As peças de estanho se encaixam neste perfil, já que o metal, típico da cidade histórica, é utilizado para a fabricação de utensílios domésticos desde o século XVIII. A votação pode ser realizada até o dia 5 de novembro, data de término da Bienal que acontece em Brasília.

Fonte SEBRAE MG