sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Democracia antiga versus Democracia moderna


Grécia antiga
O que entendemos por democracia moderna passou por grandes transformações ao longo dos anos. Podemos afirmar que, com a revolução dos direitos sociais, a forma de participação dos representados constitui-se e culmina no poder do povo? 

Como sabemos a democracia antiga permitia uma grande participação cidadã na medida em que era ‘desenvolvida’ no âmbito local, da pólis. Mesmo com grandes impérios (Estados) não havia a concepção do que hoje temos de Estado-Nação. Seus cidadãos decidiam sobre a quase totalidade das questões, mas com graves restrições de participação nas escolhas pelos habitantes da pólis. Realmente, a participação direta garante maior legitimidade às decisões a serem implantadas por determinado povo através de seus governantes.

Mudanças houve nas estruturas democráticas e nas formas de participação. Tomando como exemplo o Brasil, a democracia vem encontrando caminhos em meio às rupturas democráticas para efetivar a participação cidadã.

Já fomos um Estado monárquico em que o Rei exercia seus poderes com ‘mãos de ferro’. Passamos a império em que algumas formas de participação foram inseridas, mas longe de vivermos ‘em democracia’. Veio a República e com ela a eleição de nossos representantes, maior liberdade de expressão ainda que condicionada aos interesses de grupos econômicos-políticos. Somente algumas décadas seguintes mulheres tiveram o direito de exercer sua cidadania na forma de eleição dos representantes entre outras conquistas.

Nesse ‘meio tempo’, tivemos governos autoritários, regimes ditatoriais, durante os quais várias normas legais implementadas vigoram até hoje. Democracia? Participação cidadã? Sem falar em novas formas de participação através da atuação em conselhos de Políticas Públicas, orçamentos participativos ainda incipientes no país.

Exercemos nossa democracia sobe formas bastante desiguais, talvez por causa do tamanho e da complexidade dos nossos problemas. Hoje, ‘soa’ inviável a participação direta na tomada de decisões dos três ambitos federativos. Mas, hoje todos os cidadãos podem eleger seus representantes no Brasil, ainda que obrigados.

Nossos legisladores na maioria das vezes exercem seus mandatos não em nome de uma coletividade, mas segundo interesses de grupos econômicos para se perpetuarem no poder. No executivo há forte pressão sobre as casas legislativas para que seus projetos sejam aprovados.

Tento exemplificar, com imperfeições, o caso brasileiro para mostrar o quão diferentes são, hoje, os regimes democráticos no mundo. Estamos atrasados em relação a algumas democracias e avançados em relação a outras. Dizer que avançamos em relação à democracia antiga? Pode ser que sim, mas temos muito o que resgatar dos nossos antepassados principalmente no que tange à discussão dos problemas sociais pela sociedade de forma direta.

sábado, 22 de setembro de 2012

Explicando o inexplicável | Eleições 2012


Texto escrito por um São-joanense indignado como eu com a situação da cidade! Não há explicação plausível para o apoio que o prefeito Nivaldo Andrade tem recebido de seus desafetos políticos Aécio Neves e Rômulo Viegas! Não há!


EXPLICANDO O INEXPLICÁVEL

Nathanael Andrade*

"Terra de Tancredo! Antes dele, terra de Tomé Portes, de Tiradentes e de uma raça de homens que já não existe mais! Homens que tratavam apenas com a palavra. Homens que tinham dignidade acima de tudo.

Esta é a terra de Tancredo e é a minha terra também. É a terra de meus pais e avós que chegaram nestas plagas ainda no começo dos XVIII, com o sonho de construir vida nova no país distante.

É terra de índios, de negros, de europeus e seus descendentes que, com muito trabalho construíram uma cidade que se tornou o Celeiro de Minas, a Princesa do Oeste do século XIX e que por pouco não se tornou a Capital das Minas Gerais...

Terra que financiou com seu ouro a revolução industrial, que abrigou escolas as mais renomadas, terra que acolheu a música, os sinos e a religião como suas tradições...

Terra do Teatro, das manifestações populares, da imprensa sempre ativa, da Maria que com fumaça trouxe progresso para o interior dos sertões das Gerais...

São João del-Rei não é a terra deste ou daquele cidadão - é terra dos mineiros, dos brasileiros que aqui se juntaram para lutar nos campos da Itália e levar paz ao mundo conturbado pela grande guerra.

São João del-Rei é a terra de todos nós, são-joanenses de berço ou de devoção que a abraçaram com AMOR FILIAL.

POR ISSO TUDO ACHO QUE MERECEMOS MAIS... E É POR ISSO QUE TODO CIDADÃO COMPROMETIDO DE FATO COM OS INTERESSES DESTA TERRA GRITA EM ALTO E BOM SOM: FORA NIVALDO!!!! VC JÁ DEMOSTROU QUE NÃO FAZ PARTE DESTA ESTIRPE DE HOMENS DE VALOR!!!

VC NÃO MERECE CONDUZIR ESTE TESOURO DAS MINAS GERAIS...
E NÃO HÁ NADA QUE POSSA EXPLICAR O INEXPLICÁVEL!!!!!"

* Bacharel em Ciência da Computação e estudante de Jornalismo da UFSJ.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Porque participarei do "Fora Nivaldo" | Eleições 2012


O movimento apartidário Fora Nivaldo vem ganhando forças nas redes sociais. Ele será realizado na cidade de São João del-Rei, dia 29/09/2012 a partir das 13:00 na Praça da Estação, seguindo até a sede do poder executivo municipal como uma manifestação contra a atual administração. Segue abaixo trecho de um texto produzido por um aluno da Universidade Federal de São João del-Rei:

PORQUE PARTICIPAREI DO "FORA NIVALDO"
Por André Luan*

"O pretexto do "ataque a UFSJ" não possui relação direta com o Movimento Fora Nivaldo. Ambos foram programados por diferentes lideranças. São duas coisas distintas.

O ato em defesa da UFSJ representa certo provincianismo às avessas. Com um tom de autoridade de que 'sem a universidade a cidade não é nada", "veja o quanto que estudantes contribuem para a economia" reforça ainda mais a distinção entre intelectuais e povo em São João del-Rei. Reforça também uma prática conservadora, de uso da Universidade em causa própria por determinado grupo político.

No entanto, isso não impede a formação de um movimento que pode contribuir para algo que seja construído para além das eleições. Um movimento que pode fazer uma análise e uma ação que desconstrua práticas enraizadas do atual prefeito. Ou seja, ele contribui para limpar um campo político e detectar quem é ou não é nivaldista a partir de um adversário único.

O Movimento Fora Nivaldo está em plena construção. Se existem dois Nivaldos que disputam as atuais eleições, esse campo político permite identificar em candidatos que reforçam tais práticas na cidade. E, sabemos que um deles, em termos eleitorais, é mais "inofensivo" que o outro. Por isso não entendo o espanto de dizer quem realmente é o sr. Prefeito e suas práticas a partir de um Movimento criado por membros da sociedade civil sanjoanense. Sua existência é legítima.

Apoio esse movimento porque é importante no momento desvelarmos uma aliança conservadora que se formou na cidade com o grupo político mais atrasado, a tucanada braba que vendeu mais da metade do país e reforçou sua condição dependente. Bater no Nivaldo significa acabar com a política de repressão de Aécio e Anastasia em Minas, inimigo maior dos movimentos sociais, das ocupações urbanas, das lutas contra o encarceramento de pobres à revelia, à censura, etc.

Se o contexto de seu surgimento é o momento eleitoral, isso pouco interessa. O que interessa é sua permanência, suas discussões e suas ações em defesa do uso da cidade pelas maiorias.

Não detectar um inimigo mais claro e objetivo é cometer um crime político contra a população local. Dizer que não é possível acumular taticamente com um campo que pode até votar no candidato petista, mas que identifica uma aliança conservadora ainda maior, é dizer as maiorias que queremos a manutenção do atual candidato a prefeito, reforçando uma indiferença na política atual."

* André Luan – estudante de História pela Universidade Federal de São João del-Rei

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

URGENTE: Aliança contra São João del-Rei | Eleições 2012


Transcrevo texto tal como ele foi escrito por um cidadão São-Joanense indignado e que não quis se identificar. Não concordo em tudo com análise política que o autor faz, mas concordo com a sua visão de que está na hora de nós, São-joanenses, acordarmos para a mudança, para o novo! Pense Novo São João del-Rei!

Charge: Humor Inteligente
 
Aliança contra São João del-Rei

Acredito já ser hora de o PSDB local e mineiro pararem com essa conversa para boi do curral eleitoral do Aécio dormir de que apoiam o Nivaldo para prefeito porque não podem admitir que um candidato do PT vença as eleições na terra do ex-governador. Primeiro essa terra não é do Aécio, essa terra é de cada são-joanense que nasceu ou vive e se orgulha dela. Segundo, o motivo ou os motivos que levaram a essa aliança espúria tem como único objetivo a garantia de manutenção no poder de seus componentes.

Se os autores dessa aliança tivessem o mínimo de honra deveriam assumir que o Governador Anastásia apoia o Nivaldo hoje porque mostrou no passado ter pouca visão política. Explicando, Anastásia recebeu, quando ainda estava atrás do Hélio Costa nas pesquisas, apoio de Nivaldo e outros 40 prefeitos do PMDB. A esse apoio foi creditado a virada e a vitória de Anastásia. Na verdade essa virada viria de qualquer maneira quando o ex-governador Aécio entrasse para valer na campanha e Nivaldo não tinha outra escolha a não ser apoiar Anastásia, uma vez que tinha perdido espaço dentro do PMDB mineiro. Se o atual Gov. de Minas tivesse esperado um pouco mais para aceitar o apoio dos traidores do PMDB, estes teriam implorado para bandear para seu lado. Portanto o apoio que Anastásia dá agora ao Nivaldo nada mais é que uma simples troca de favores.

Rômulo Viegas, que renegou o nome da família quando se aliou a pessoa que fez carreira política destratando seus antepassados, apoia Nivaldo agora para retribuir o apoio recebido para a sua eleição para deputado estadual em 2010 e também para garantir o apoio quando da tentativa de reeleição. Dá, também, seu apoio ao Nivaldo nesse momento porque tem de obedecer aos mandatários do PSDB. É triste ver um outrora brilhante professor, pessoa culta, ser reduzida a isso.
Aécio Neves aparece como coordenador dessa lama toda, mas é eminência parda de sua irmã Andréia. Pensando em ter o apoio do Nivaldo em uma hipotética candidatura do irmão à presidência da república hipotecou São João del-Rei. O problema é que Aécio não consegue decolar no restante do país e enfrenta séria oposição do PSDB paulista. As chances de Aécio conseguir uma indicação para disputar a presidência da república passam pelo PSB e talvez pelo PMDB. Gostaria de saber se no meio dessa farofa partidária alguém consegue encontrar algo que justifique esse apoio ao Nivaldo. Principalmente se levarmos em conta que essa atual aliança trouxe para o ex-governador Aécio a ira dos opositores ao atual prefeito Nivaldo.

O interessante dessa mixórdia toda é que ambos os lados não se respeitam e com certeza passam o tempo planejando uma maneira de se livrar do indesejável aliado. O PSDB local põe fé que Nivaldo será condenado em segunda instância em pelo menos um dos inúmeros processos dos quais é réu. Nesse caso Nivaldo tornar-se-ia inelegível e o PSDB indicaria o Dep. Rômulo para candidato a prefeito. O problema é que o judiciário mineiro não consegue condenar o Nivaldo sequer em um processo. Um dos processos já teve cinco adiamentos, sendo dois por pedidos dos advogados do réu e três por pedidos dos juízes do caso. E tem processo que tramita há mais de vinte anos!

Já Nivaldo vai sugar tudo que for possível dessa aliança. Impedido de receber diretamente verbas federais, uma vez que a prefeitura esta inadimplente resta ao Nivaldo buscar recursos estaduais. Esses recursos serão usados sempre em obras eleitoreiras e que não suportam uma análise mais detalhada de suas contas. Assim como procurará usar de todas as formas a influencia que essa aliança trás para seu nome. Entretanto no futuro, se for do seu interesse, Nivaldo poderá trair os atuais companheiros de aliança, como já fez no passado e faz sempre. Nivaldo só é fiel a ele mesmo.

Nessa história de terror o prejuízo é todo de São João del-Rei que marcha há mais de vinte anos para o atraso. Nossa cidade não tem hoje o menor planejamento, tem um trânsito caótico, não tem coleta seletiva de lixo, não tem tratamento de esgoto, não investem em captação e tratamento de água, nossas ruas sequer são varridas, qualquer chuva provoca enchentes e alagamentos, tem escolas que funcionam até hoje com salas multi seriais e ameaçam cair na cabeça dos alunos. Não existe investimento nas crianças e adolescentes da cidade. Como consequência a droga domina e destrói toda uma geração. E sabem qual a maior ironia disso tudo? Nenhum dos quatro autores dessa maldita aliança moram em São João del-Rei.