terça-feira, 25 de junho de 2013

Mas, o que é o Direito?

No pronunciamento de hoje (24/06/2013), a presidente Dilma chamou a responsabilidade para si quanto a duas questões fundamentais advindas das manifestações no país: a reforma política e o combate à corrupção. Sem a presença dos congressistas (que sempre engavetam projetos destes temas) e na presença dos governadores e prefeitos, foi estratégica: chamou a possibilidade de uma constituinte para a tão sonhada reforma política, a ser convocada por meio de um plebiscito, ou seja, se o congresso não ‘andar’ com tais propostas será cobrada dele a fatura pelo povo brasileiro.

Não sou da seara jurídica, mas em meio às discussões acaloradas sobre uma possível Constituinte exclusiva, vou dar meu pitaco: 

Alguns defendem a não possibilidade no direito brasileiro de uma Constituinte paralela estando vigente uma Constituição (acho que é assim que se diz). Mas, o que é o Direito? É a manutenção do status quo. A manutenção das regras atuais, que foram feitas por quem? Por quem sempre manteve o poder na sociedade, quem sempre ditou as regras: igreja (s), grupos políticos e econômicos etc. Não interessa aos mesmos a mudança das regras com o jogo em curso.

Não vou entrar no mérito da questão, porque não tenho cacife para tal. Mas, há que se pensar em transgredir as regras!


O que é direito?

sábado, 22 de junho de 2013

O que vi da manifestação hoje (20/06/2013):



Sai às ruas depois do trabalho e vi! Vi muita vontade dos jovens de se fazerem ouvidos! Em sua maioria, jovens protestando por tudo, inclusive FORA ANSELMO RAMON (jogador do Cruzeiro). 



Vi muito reaça gritando #forapartidos e até tentando expulsar partidários. Vi jovens desnorteados pelas ruas de Belo Horizonte, outros engajados nas mais nobres causas, movimento desnorteado, muita festa! Desciam a Amazonas, subiam a João Pinheiro. Desciam pela Brasil, voltavam pela Afonso Pena. Outros foram para a Câmara Municipal.


Percebi que precisam extravazar, numa cidade onde quase tudo é proibido, vi um sentimento de colocar para fora o que lhe sufoca! Vi senhoras acenando do alto de seus apartamentos, vi motoristas ‘apoiando’ de dentro de seus carros!



Vi também movimentos sociais, vi trabalhadores admirados com a coragem dos jovens. Vi a liberdade na ocupação dos espaços públicos...

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Eu estava acordado



O GIGANTE acordou para você?! Para mim, não!

Dorothy Stang

Como tenho repetido, os movimentos sociais estão nas ruas há tempos. Foram os indígenas que lutaram contra os colonizadores, os escravos que lutaram contra seus opressores, os estudantes que pediram o #foracollor, os cidadãos que lutaram pelas #diretasjá, os camponeses que lutam pelo direito à terra, as mulheres que lutam pra exercer sua cidadania, os LGBT's que lutam pelos seus direitos, os próprios estudantes que lutam pelo passe livre há décadas... e poderia ficar narrando inúmeras situações em que o povo brasileiro foi às ruas por melhorias.

Fora Collor
Tentam incutir na sua cabeça que somos apáticos, não se engane: tudo que conquistamos foi com muita luta! Não vamos negar nosso passado! País sem memória é um país sem futuro!



Diretas Já!


Se você lê o momento político como um ataque ao governo é porque você também não entendeu o que está rolando... é o sistema, mané. Há que ter muito cuidado para não esvaziarmos as instâncias partidárias e darmos espaço a discursos conservadores e reacionários. 


Resta saber que rumo tomar, que causas perseguir. Ao atirar pra todos os lados não chegaremos a lugar nenhum! Sem reforma política, podem protestar, gritar, xingar...nada vai mudar! O sistema atual não permite... A começar pelo financiamento público de campanhas e pela democratização da comunicação!


EU ESTAVA ACORDADO!

Manifestação em São João del-Rei

Li e recomendo:

E daqui, para onde vamos? 
Ei PT... Viste os sinais? 
Arnaldo Jabor e cia agora pedem desculpas 
Ei, reaça, vaza dessa marcha! 
Sobre Datenas, Jabores e Pondés 
Protestar contra tudo é o mesmo que protestar contra nada 
No país do futebol, a goleada dos protestos 
Não, o Brasil não acabou de acordar 
O que "está aí" para sermos contra ou não? 
Quem disser que sabe o que está acontecendo está mentindo